sábado, 28 de janeiro de 2012

12 faces do preconceito




12 faces do preconceito

 Talvez se pudesse começar pedindo: Levante o dedo que não tem algum preconceito! Não sei quantos são isentos de quaisquer preconceitos.
Quem não tiver algum, não precisa ler este livro. Permito-me... ( Leia mais)
Talvez se pudesse começar pedindo: Levante o dedo que não tem algum preconceito! Não sei quantos são isentos de quaisquer preconceitos.

Quem não tiver algum, não precisa ler este livro.
Permito-me lembrar, sem querer ser consciência de ninguém, que é preconceituoso que conta piadinhas, mesmo com argumento que é para fazer graça –acerca de negro, de judeu, de homossexual, de português, de obeso... Ou quem usa linguagem que inclua programa de índio, denegrir, judiar.

Há muitos que vivem uma salutar campanha de auto-educação (se que isso é possível, pelo menos quanto a significados etimológicos) para superação de ações preconceituosas. Para estes o livro, onde Jaime Pinski – historiador e professor titular da UNICAMP – reuniu outros 11 intelectuais de renome, é uma obra preciosa. Atenção, não estou classificando a primorosa produção da Editora Contexto, já em sétima edição, como obra de auto-ajuda, pelo usual preconceito que alguns têm contra elas.

12 faces do preconceito por seu título nos leva a supor que Pinsky tenha proposto para imaginarmos o preconceito umdodecaedro regular e rutilante.

Não! ele é um poliedro, amorfo, irregular, fosco e impolido. Talvez, à medida quesuperarmos cada um dos preconceitos trazido em textos muito densos e sumarentos – cada um poderia servir decatalisador em debates em uma sessão em sala de aulas tanto na Educação Básica como no Ensino Superior – teremos
lapidado esse sólido amorfo, e então é provável que ele se esboroe e desapareça de nossa sociedade.
Aceito que esteja laborando em utopias, mas isso também é preciso.

Assim vamos aprender a superar (e superar-nos) nos 12 preconceitos apresentados (contra):

Mulheres (O lugar de mulheres é na cozinha?);

Racial (Serviço de negro);
 
Homossexual (Ser ou não ser não é a questão);
 
Idosos (Quem gosta de velho é reumatismo);

Jovens (Entre a madeira e a camisinha);
 
Lingüístico (Preconceito lingüístico? Tô fora!);

Gordos (Baleia é a mãe!);
 
Baixinhos (Tamanho é documento?);
 
Anti-semitismo (A raiz da intolerância);
 
Deficientes (Casa de bonecas);
 
Migrantes (Cidadãos de segunda classe); e,

Social (Feios, sujos, pobre).
 
Se os leitores do Letras e Livros já ficaram instigados com os títulos dos 12 textos de Luiza Nagib Eluf, Jaime Pinski, Jean-Claude Bernardet, Luiz Eugênio Garcez Leme, Gustavo Ioschpe, Marcos Bagno, Domingos Fraga, Claudio Camargo, Henry I. Sobel, Marcelo Starobinas Renato Simões e Aldaiza Sposati terão uma surpresa ainda maior quando admirarem cada das instigantes charges de José Luiz Juhas que abrem cada segmento.

Posso imaginar uma discussão em sala de aula em que cada sessão teria como imagem ilustrativa apenas (e não precisa mais nada) cada um dos desenhos de Juhas. Esta aqui um entusiasmado convite aos leitores e às leitoras do Letras e Livros. Ajudem com este livro a dilapidar este horroroso poliedro chamado preconceito.

A professoras e professores permito-me uma sugestão adicional: levem às salas de aula este livro. Ele fará muito bem a saúde de alunas e alunos, mas tem uma contra-indicação: é nocivo ao ódio, ao desamor e as injustiças sociais.
A receita esta dada.
Vale experimentar cada uma das doze doses.

Attico Chassot
12 FACES DO PRECONCEITO
Organizador: PINSKY, JAIME
Editora: CONTEXTO
Assunto: CIENCIAS SOCIAIS-SOCIOLOGIA
ISBN :  8572441042
ISBN-13:  9788572441049
Livro em português - Brochura
1ª Edição - 1999 - 128 pág.

Nenhum comentário:

Postar um comentário