sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

250 mil podem não saber: HIV

Mais de 250 mil brasileiros podem não saber que têm HIV

Ministério da Saúde recomenda que todos realizem testes para descobrir o vírus



No dia Mundial de Luta Contra a Aids o Ministério da Saúde alerta a sociedade em geral para a importância de realizar testes periódicos que possibilitem o diagnóstico do vírus HIV. Esses exames devem ser feitos após situações de risco, como o uso compartilhado de seringas por usuários de drogas ou relações sexuais sem preservativos. De acordo com dados do ministério, o Brasil tem cerca de 630 mil pessoas que vivem com o HIV.

No entanto, esse número deve aumentar, já que o número de pessoas com vida sexualmente ativa que fizeram o teste pelo menos uma vez passou de 40%, em 2009, para 60% em 2010. De acordo com o ministério, o número de testes de HIV distribuídos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) dobrou, passando de 3,3 milhões, em 2005, para 8,9 milhões em 2009. O índice de testagem para HIV em todo o país, no ano passado, foi de 38,4%.

O número de novas infecções por HIV no Brasil passou de 37.465, em 2008, para 38.538, no ano passado, de acordo com dados divulgados hoje (1º) pelo Ministério da Saúde. Em média, são registrados 35 mil novos casos de Aids por ano.

 O boletim aponta ainda que 11.839 pessoas com HIV morreram em 2009, praticamente o mesmo número registrado em 2008 (11.815). Uma das metas do ministério é ampliar o número de testes de HIV por meio do programa Fique Sabendo.

Os exames para detectar o vírus são realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) de forma sigilosa e gratuita. Os laboratórios da rede particular também fazem o teste. Esses exames podem ser feitos nos centros de Testagem e Aconselhamento (CTA), que são unidades da rede pública.

A campanha do Ministério da Saúde também procura enfatizar os cuidados para evitar a transmissão entre lésbicas, gays, bissexuais e travestis. Entre outos objetivos da campanha, que será lançada hoje (1º), está a desconstrução do preconceito sobre as pessoas vivendo com HIV. O tema é "O Preconceito como Aspecto de Vulnerabilidade ao HIV/Aids".

Prevenção

-O vírus HIV pode ser transmitido pelo sangue, sêmen, secreção vaginal, leite materno;
-Relações sexuais homo ou heterossexuais, com penetração vaginal, oral ou anal, sem proteção da camisinha, transmitem a Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis e alguns tipos de hepatite;
-Compartilhamento de seringas entre usuários de drogas injetáveis;
-Transfusão de sangue contaminado;
-Instrumentos que cortam ou furam, não esterilizados;
-Da mãe infectada para o filho, durante a gravidez, o parto e a amamentação.

Tratamento

Atualmente a terapia com os chamados antiretrovirais, medicamentos que suprimem agressivamente a replicação do vírus HIV, proporciona melhoria da qualidade de vida, redução da ocorrência de infecções oportunistas, redução da mortalidade e aumento da sobrevida dos pacientes.

Fonte: Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário