domingo, 22 de janeiro de 2012

PÊNIS


Órgão sexual masculino que atua na reprodução e na excreção. Com as transformações hormonais iniciadas na puberdade, a maturação peniana se completa por volta dos 18 anos.

A veneração do pênis como símbolo do poder é antiga e ainda assim ininterruptamente atualizada. Sua imagem foi usada durante a Antiguidade pelos egípcios, romanos e gregos, como uma forma de demonstrar as forças produtoras e fecundas do Universo.

O órgão sexual masculino aparecia estampado artisticamente, sem conotação erótica: sua função era simbolizar as virtudes masculinas.
O caráter sexual somente foi revelado em torno do século 2 a.C., passando a ser utilizado como arma de sedução. Com o crescimento da influência cristã, o pênis foi visto como vergonhoso. Não é demais lembrar que o próprio Cristo foi gerado sem a sua participação.



Até o século XV, o pênis só deveria ser utilizado como meio de reprodução, caso contrário o infrator estaria cometendo um grave pecado. Foi assim que homens com problemas de ereção foram considerados desviados morais e, alguns, resolviam o problema, castrando-os. É interessante notar que a castração foi adotada e, ainda é, como forma de punição, mas também de valorização da espécie.
Ainda hoje homens são castrados ainda na infância, para serem usados como escravos, tornarem-se homens de confiança ou mesmo por motivos religiosos.
 
Sabemos que o pênis é estudado antes do nascimento. Cientistas já puderam demonstrar que a partir do 7º mês de gestação, o feto tem constantes ereções de duração extensa. Mas é somente durante a puberdade com as revoluções hormonais que ocorre a maturação peniana, fase também que todas as características sexuais e órgãos reprodutores dão início ao seu desenvolvimento.

O pênis cresce até mais ou menos por volta dos 18 anos de idade, quando alcança o formato e diâmetro que vai exibir durante sua vida. Ele é o órgão sexual masculino, que atua na reprodução e na excreção, de formato cilíndrico e formado por dois tipos de tecidos: dois corpos cavernosos, na parte superior, um ao lado do outro, de estrutura oca que recebem o sangue responsável por permitir a ereção, e um corpo esponjoso, situado na parte inferior do pênis que protege e envolve a uretra. O pênis em função excretora permanece flácido, ficando ereto na função reprodutora.

Na extremidade do pênis encontra-se a glande, ou cabeça, revestida pela mesma pele dos mamilos e lábios, que por ser extremamente enervada, torna-se um local de extrema sensibilidade. Nela visualizamos a abertura da uretra, canal que tem a função de expelir a urina e eliminar o líquido da ejaculação, sendo que durante a ereção os músculos localizados na entrada da bexiga são contraídos para que urina e sêmen não se misturem.
Pelo fato da glande ser um local muito sensível, fora da ereção, ela é protegida por uma pele chamada prepúcio que deve ser puxado e higienizado a fim de retirar o esmegma, uma secreção sebácea espessa e esbranquiçada, com forte odor, que consiste principalmente em células epiteliais descamadas que se acumulam.
Quando a glande não consegue ser exposta devido ao estreitamento do prepúcio, diz-se que a pessoa tem fimose e neste caso recomenda-se que um médico seja consultado a fim de se avaliar a necessidade de uma cirurgia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário