sábado, 28 de janeiro de 2012

QUESTÕES SOBRE O CONHECIMENTO.

                                  
“ O Homo sapiens é sempre, e na mesma medida, homo socius.”
Durkheim

01)    O conhecimento é um determinismo. A que se refere esta afirmação...
R: Segundo a perspectiva humanista o homem é visto não como um ser controlado tanto por pulsões interiores quanto pelo ambiente, e sim como um ser ativo, que busca seu próprio crescimento e desenvolvimento. A principal fonte de conhecimento do humanismo psicológico é o estudo biográfico, com o fim de descobrir como essa pessoa vivencia sua existência, ao contrário do comportamentismo, que dá mais valor à observação externa.
     O homem segundo a crença popular e seus mitos filosóficos diz que ele é um ser natural assim todo homem é bom e o meio lhe desvirtua. Isolado que diz que seu princípio é ser um lobo solítário e aos poucos vai ascendendo ao relacionamento. Abstrato quando é visto de modo generalizado.
Na psicologia o homem é multideterminado pois não é considerado por nenhum destes mitos, não natural porque é histórico, nem isolado por ser social e tampouco abstrato porque é o conjunto de suas relações.
    O homem é um produto físico-social e que ele aprende a o ser, tudo que possui é subtraído do seu meio, pois ele aprende a utilizar suas aptidões, seus instrumentos (Guerra do fogo, Desbravadores) e sua linguagem (13º guerreiro e Stargate II).

Somos ímpares, mesmo quando estamos “in” pares...
Luís Poeta.

02)     De que forma adquirimos conhecimento?
R: Neste adquirir é que encontramos dois fatores: a visão acadêmica e a do senso comum. Ambos adquiridos na interatividade com nosso meio, seja físico ou social, mas sempre num aprendizado constante, existem o conhecimento acadêmico que é adquirido através do desenvolvimento de aprendizagem educacional, de formação profissional, onde existirá um transmissor(professor) e um receptor(aluno). E existe o cultural que vem do meio, da família, da história de vida, estado emocional, construção paulatina que vamos absorvendo informações que vão sendo selecionadas e organizadas e que aos poucos criam nosso próprio repertório de aprendizagem e de comportamento.
    A compreensão da inteligência humana, de como absorvemos e mantemos este conhecimento é que surgem as ciências cognitivas que têm a finalidade de descrever, explicar, e, eventualmente, simular as principais disposições e capacidades do espírito humano – linguagem, raciocínio, percepção, coordenação motora e planificação.
O ser humano desenvolve-se no seio de uma cultura e numa contínua interação, sem se limitar a processar digitalmente a informação, até mesmo sendo comparado a um computador.

Diga-me, e eu esquecerei.
Mostre-me, e eu lembrarei.
Envolva-me, e eu entenderei
(Confúcio (551 - 479 A . C))

03) Qual a diferença entre mera opinião e conhecimento?
R: A mera opinião é aquele conhecimento que provém da crença aculturada do indivíduo, como citado acima, muitas vezes sem uma procedência verdadeira, apenas oriunda da propaganda e comentário popular, onde não existe um trabalho de pesquisa e comprovação, e sabemos que o desenvolvimento intelectual é determinado pelo meio ambiente, ou seja, pela força do meio e não depende apenas do sujeito, o conhecimento é de fora para dentro.
E ambas são parte de razão do indivíduo, se fracionando em crença e verdades, podemos adquirir conhecimentos mesmo sem a prática, indo assim contra alguns conceitos sobre o conhecimento que cito:
COMPORTAMENTALISTA: que consiste na forma de se ordenar as experiências e o universo, colocando-os em códigos simbólicos.
COGNITIVA: construção contínua caracterizada pela formação de novas estruturas mentais que não existiam no individuo anteriormente.
Em minha modesta opinião fico com os conceitos:
HUMANISTA: que diz que a experiência pessoal e subjetiva é o fundamento para o conhecimento durante a vida do indivíduo.
SÓCIO-CULTURAL: criado e elaborado a partir de mútuo compartilhamento de prática, pensamento e condicionamento, uma superação da dicotomia sujeito-objeto: somos razão-experiência.
O homem quando nasce é apenas um protótipo do que vai ser, e será o que aprender e formar como paradigma, seja ele bom ou mau, e tudo que possui é resultado de suas aptidões usadas para sobreviver, numa construção de cultura histórica de si mesmo, consegue se adaptar a ferramentas, ao trabalho e à linguagem. É observador e insatisfeito e isso provoca novos aprendizados funcionais.

‘O homem é o que é pelo que percebe em toda a sua vida e usa como base transformadora até a sua morte’.

Nenhum comentário:

Postar um comentário