sábado, 18 de fevereiro de 2012

EJACULAÇÃO PRECOCE (EP) - Parte 1


O QUE É EJACULAÇÃO PRECOCE?

Todos os homens, às vezes, querem que as suas relações sexuais durem mais tempo. Mas a ejaculação precoce (EP, também chamada de ejaculação rápida) é muito mais do que apenas ter a sensação que poderia durar mais tempo. É uma condição muito real, com impacto real na vida das pessoas.
EP foi recentemente definida pelos especialistas como sendo composta por três principais aspectos:

 • ocorrência da ejaculação em cerca de 1 minuto ou menos a partir da penetração (ou ejaculação antes da penetração);
 • incapacidade de controlar a ejaculação;
 • presença de insatisfação pessoal ou do casal causada pela EP.

É importante notar que muitos homens desejam ter, por vezes, um maior tempo de relação sexual, mesmo que não tenham EP. Não há um tempo normal de ejaculação. Existem variações tanto entre os homens e até mesmo de acordo com parceiras diferentes, situações, estado emocional, medicamentos, bebidas alcoólicas, numero de relações, etc. Alguns estudos têm mostrado que o tempo médio da ejaculação é cerca de 5,4 minutos.

A EP pode assumir duas formas. Os homens podem ter EP desde a primeira vez que têm relações sexuais (conhecida como EP ao longo da vida ou primária), ou pode desenvolver mais tarde na vida do homem depois de anos sem problemas (adquirida ou secundária).

Muitos homens continuam com a esperança de que sua EP vai ficar melhor com o tempo. No entanto, sabemos que 70% dos casos pioram com o tempo, 29% ficam iguais e apenas 1% melhoram. É importante perceber que a EP é uma condição médica tratável e que, ao falar com um médico, você pode potencialmente ter acesso a um número de tratamentos eficazes.

A EP às vezes é confundida com disfunção erétil (DE; impotência), uma condição onde o homem não pode alcançar ou manter uma ereção adequada para uma relação sexual. Homens com ejaculação EP tem uma ereção rígida, enquanto os homens com disfunção erétil podem perder a ereção antes da ejaculação. Ao contrário da DE, a EP não é frequentemente associada com condições médicas graves como doença cardíaca ou diabetes, embora seja possível ter os dois: EP e DE. Fato muito relevante ocorre com homens que procuram o urologista com DE e trazem junto quadro de EP. Isto demonstra que a EP ficou “escondida” e a procura do tratamento medico se deu com o aparecimento da DE. Neste caso o tratamento deverá contemplar as duas condições.


AS PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE EP E DE.


O QUE ACONTECE NA EJACULAÇÃO PRECOCE?
Em homens com EP, o mecanismo da ejaculação é o mesmo que em homens sem EP, mas acontece muito mais rapidamente e com menos sensação de controle. Homens com EP podem comparar a sua falta de controle sobre a ejaculação a um espirro - eles podem sentir que isso vai acontecer, mas eles não podem fazer nada para detê-la. Isto porque, como um espirro, a ejaculação é um reflexo que é controlado pelo cérebro e o sistema nervoso, e uma vez desencadeada, não pode ser interrompida. A ejaculação pode ser desencadeada por estimulação sexual mental, bem como física.

A razão exata pela qual algumas pessoas têm uma resposta mais rápida sexual ainda não é totalmente compreendida. No passado, EP foi compreendida como uma condição puramente psicológica, mas os médicos já sabem que ela pode ser causada por problemas físicos associados com a alteração de recaptação da serotonina no cérebro que controla a ejaculação. Os cientistas descobriram recentemente variações de um gene que controla a sinalização da serotonina que poderiam ser ligados a EP.

FREQUENCIA E IMPACTO
Quantos homens sofrem de ejaculação precoce?
A EP é uma condição médica comum, com alguns especialistas acreditando que até um terço de todos os homens experimentarão EP em algum momento de suas vidas. Ao contrário do que você pode ter ouvido ou lido, EP não está vinculado a uma determinada faixa etária - estudos têm mostrado que um número semelhante de homens na casa dos cinquenta têm EP, como os homens em sua adolescência e vinte anos. EP também parece ser um problema experimentado por homens em muitas partes do mundo, com números similares entre diferentes culturas e países.

Qual é o impacto da ejaculação precoce?
O ônus da EP é tanto emocional quanto físico. Ela pode causar baixa autoconfiança, ansiedade e sentimentos de vergonha. Em alguns estudos uma associação com depressão também tem sido demonstrada. Uma pesquisa recente com mais de 12 mil homens descobriu que aqueles com EP tem significativamente pior vida sexual do que os homens sem EP, com “pouco interesse em sexo, falta de orgasmo e dificuldades em obter ou manter uma ereção”. Homens com EP têm maior preocupação com o relacionamento geral - às vezes até mesmo evitando relacionamentos completamente. Os efeitos da EP também se estende para além das relações sexuais e relacionamentos; com homens com EP tendo menor qualidade de vida global do que os homens sem EP. EP muitas vezes também tem um efeito negativo sobre a parceira, deixando-as angustiadas. Mesmo entre casais que se consideram sexualmente satisfeitos, apesar EP, tanto homens quanto mulheres podem sentir que há algo faltando em seu relacionamento, e que isso afeta sua sensação de intimidade.

EU TENHO EP?
Este é um questionário para ajudar a identificar homens que podem ter um problema com ejacular muito rápido durante a atividade sexual.
  • Por favor, selecione a opção que melhor representa sua resposta para cada uma das 5 perguntas.
  • Você pode selecionar apenas uma resposta por questão.
  • Lembre-se que não há respostas certas ou erradas para estas perguntas.
 *Definição: A ejaculação aqui se refere à liberação do sêmen após a penetração.

  1. 1. O quanto é fácil para você retardar a ejaculação? *
  2. Nem um pouco difícil
  3. Um pouco difícil
  4. Moderadamente difícil
  5. Muito difícil
  6. Extremamente difícil

2. Você ejacula antes que você queira?
  1. Quase nunca ou nunca 0%
  2. Menos de metade do tempo 25%
  3. Cerca de metade o tempo de 50%
  4. Mais da metade o tempo de 75%
  5. Quase sempre ou sempre 100%

 3. Você ejacula com muito pouca estimulação?
  1. Quase nunca ou nunca 0%
  2. Menos de metade do tempo 25%
  3. Cerca de metade o tempo de 50%
  4. Mais da metade o tempo de 75%
  5. Quase sempre ou sempre 100%

4. Você se sente frustrado por causa de ejacular antes que você queira?
  1. De modo nenhum
  2. Levemente
  3. Moderadamente
  4. Muito
  5. Extremamente

5. Você tem preocupação que o seu tempo para a ejaculação deixa a sua parceira sexual não satisfeita?
  1. De modo nenhum
  2. Levemente
  3. Moderadamente
  4. Muito
  5. Extremamente
Se sua pontuação foi maior que 15 provavelmente você sofre de EP. Mas é fundamental uma avaliação medica para melhor definir este quadro.

COMO ABORDAR O TEMA DA EP?
Se você acha que você tem EP e está fazendo com que você ou sua parceira fique infeliz, então você deve conversar com seu médico.  Este pensamento pode fazer você se sentir nervoso. Mesmo que a sexualidade seja uma parte normal da vida, você pode se sentir estranho ou embaraçoso ao conversar com seu médico sobre problemas da sua vida sexual. É importante lembrar que o médico ouve esse tipo de coisa o tempo todo e que eles são a melhor fonte de ajuda para o EP.  

Então, qual é a melhor maneira de abordar o tema da EP com o seu médico?
Você pode pensar sobre os sintomas, quando eles acontecem e qual o efeito que eles estão tendo em sua vida.  Escrever notas para levar com você - o que irá ajudá-lo a lembrar de todas as questões que estão preocupando.

Como começar a conversa?
A melhor abordagem é apenas informar ao seu médico logo no início da consulta que você tem um problema sexual que você gostaria de discutir. Por exemplo, você poderia dizer: "Eu tenho ouvido muito sobre ejaculação precoce recentemente e eu gostaria de falar com você sobre isso".

O que você pode esperar do médico?
Uma vez que você levantou a questão da EP. O que deve seguir é uma discussão aberta sobre os seus sintomas, como você se sente sobre eles, e o que é importante para que você consiga superar a sua preocupação. O médico irá provavelmente fazer uma série de perguntas sobre sua vida sexual, sua saúde geral e algumas perguntas específicas que podem até não parecer relacionadas com EP.

Aqui estão algumas perguntas que o seu médico poderá fazer:
 Perguntas sobre sua vida sexual:
1. Qual o tempo entre a penetração e a ejaculação?
 - Embora não seja a única característica da EP, o período de tempo entre a penetração e a ejaculação é um bom indicador da gravidade dos seus sintomas.
2. Você sempre teve EP ou é algo que se desenvolveu mais recentemente?
 - O seu médico vai querer saber se você tem ou adquiriu EP ao longo da vida.
3. Você ejacula com uma ereção completa? Tem problemas de DE?
 - EP às vezes pode ser ligada à disfunção erétil (DE; impotência) e seu médico vai querer saber se você tem EP, DE ou ambas EP e DE.
4. Você já usou algum medicamento, creme ou técnica para ajudar você com sintomas EP?
 - Se você já tentou uma estratégia de tratamento e não tenha funcionado tão bem quanto você gostaria, em seguida, o médico pode selecionar uma opção diferente.

Perguntas sobre a sua saúde e da vida em geral:
1. A EP está afetando o seu humor ou confiança?
- EP pode afetar a confiança de um homem e até mesmo causar ansiedade e depressão em alguns casos.
2. Como é o seu relacionamento com sua parceira?
- EP pode causar dificuldades com o relacionamento que também pode afetar sua saúde em geral.

TRATAMENTO
Se o seu médico decidiu que você tem EP, o próximo passo será discutir opções de tratamento. Há uma série de opções de tratamento disponíveis, e seu médico é o mais qualificado para trabalhar com você e para sugerir uma abordagem adequada. Lembre-se de dar um feedback honesto com o seu médico sobre o tratamento. Não há necessidade de sofrer em silêncio! EP é uma condição médica séria, e precisa ser tratada com tanta seriedade como qualquer outra condição.  O objetivo do tratamento deve ser o controle da ejaculação para o homem e restaurar uma experiência sexual satisfatória tanto para o homem e como para sua parceira.

Técnicas comportamentais:
  1. Orientação Sexual: técnica comportamental fornecida por um terapeuta sexual.
  2. Técnica Stop-Start e Squeeze: série de exercícios praticados ao longo de algumas semanas para aumentar a sensação de controle sobre a ejaculação.
 - O princípio básico é o de estimular o pênis sozinho ou com a parceira até pouco antes do ponto da ejaculação e depois parar a estimulação até uma excitação menor. Estas técnicas funcionam melhor em relacionamentos estáveis​​, pois necessitam da assistência e compreensão da parceira para ser eficaz.

Orientação Psicológica:
1. Pode ser eficaz para alguns homens que aprendem a modular a sua resposta psicossexual e ganhar algum controle consciente sobre a ejaculação.
 2. Pode ser usado para tratar os sintomas secundários psicológicos da EP, como baixa autoestima e dificuldade relacionamento.

Redução da sensibilidade peniana:
  1. Pode aumentar o tempo da ejaculação em homens com EP. Técnicas comuns incluem o uso de preservativos especiais e cremes anestésicos ou sprays.
  2. Os anestésicos são aplicados diretamente na cabeça do pênis entre 5 e 30 minutos antes da relação sexual.

Tratamento Medicamentoso:
  1. Na maioria das vezes os medicamentos escolhidos são da classe dos antidepressivos; drogas usadas ​​para tratar EP que foram desenvolvidos e licenciados para outras condições médicas, como alívio da dor ou depressão. Os mais conhecidos são a Paroxetina, Fluoxetina e Clomipramina. Estes medicamentos podem ser utilizados diariamente ou sob demanda antes da relação sexual.
 





2. Até o presente, há apenas um medicamento que foi licenciado especificamente para o tratamento da EP.
 - PRILIGY (Dapoxetina): Tomada 1-3 horas antes da relação sexual sob demanda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário