quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Gozar ou não gozar

Para nós homens, a ejaculação tem uma importância significativa. 
Quando na adolescência a liberamos pela primeira vez nos dá a impressão de que enfim deixamos de ser apenas meninos para virarmos homens.
Talvez deva ser o mesmo sentimento que a menina tem quando menstrua pela primeira vez, embora para elas a situação seja muitas vezes mais traumática, e já para nós, mais prazerosa.

Prazerosa ou traumática, as duas coisas são responsáveis pela fertilidade, e é assim que o nosso corpo nos mostra que estamos prontos para a procriação. (não levem isso a sério, pois existem muitas crianças precisando de adoção e o mundo já está superlotado hehehe)

Hoje, vamos falar desse liquido tão importante para a masculinidade de meninos e homens.

Ejaculação: É o nome dado ao momento em que a porra sai do pênis, geralmente após o homem atingir o orgasmo. Os homens ejaculam em média de uma colher de chá até uma colher de sopa (3 a 5 ml em média). Ela pode ser grossa e pegajosa, algumas muito aguadas, outras amareladas ou mais leitosa. Devido a contrações internas, a velocidade de saída pode chegar a 45 km/h e o jato pode cobrir em média a distância de 15 a 30 centímetros.


Esperma: Apenas 1% da ejaculação contém espermatozoides. Mas não se engane, nela pode haver até 600 milhões deles. O papel principal dos espermatozoides é fertilizar óvulos e basta apenas 1 para iniciar uma gravidez.

Sêmen: Cerca de 99% da ejaculação é sêmen. É ele que ajuda a fornecer energia e assistência para os espermatozoides chegarem até o óvulo. Vem basicamente de dois lugares: a parte mais fluida são das vesículas seminais (69% do volume) e a parte esbranquiçada, mais gosmenta, vem da próstata (30%).

Fluido Pré-ejaculatório ou Pré Seminal (baba): Antes da ejaculação, quando o homem está muito excitado, é comum sair uma quantidade de líquido transparente na ponta do pênis chamado de liquido pré-seminal, é aquela “baba” que já comentamos aqui no blog. A baba é responsável por “limpar” a acidez da urina deixada na uretra, para que depois o cara possa gozar. Nessa baba já pode conter alguns espermatozoides, então, nada daquela técnica de “quando eu for gozar, eu tiro”. A baba pode engravidar, sim!

Polução noturna: A maioria dos homens (entre 13 e 16 anos) que atingem a maturidade dos órgãos sexuais são avisados pelo corpo através do “sonho molhado”. Quem nunca sonhou com sexo e acordou todo gozado? É o corpo dizendo: Cara, eu já a fiz minha parte, agora você pode sair por aí gozando!

É possível que alguns adolescentes já saibam que ejaculam antes mesmo da polução noturna, através da masturbação. O garoto que se masturba no período de maturação sexual acompanha todo o processo da formação da ejaculação. No início chega ao orgasmo sem liberação de nenhum liquido que mais tarde passa a eliminar uma pequena quantidade de liquido transparente, que em algum tempo aumenta, até o dia que ejacula com a consistência característica. (Esse processo pode variar de homem para homem e não há uma escala exata de tempo)

A polução noturna pode acontecer não só em adolescentes, mas também em adultos que passam muitos dias sem ejacular. O corpo usa dessa forma para eliminar os espermatozoides velhos, para assim, produzir novos.

Vale lembrar que através da polução noturna o homem percebe que não é preciso tocar no pênis para atingir o orgasmo, basta apenas ter uma quantidade psicológica de erotismo. Interessante, não é mesmo?

Ejaculação precoce: É normal que no inicio da vida sexual, nas primeiras transas se goze mais rápido. Em praticamente 99% dos casos de ejaculação precoce entre os jovens, quando o garoto goza muito rápido, a causa é a ansiedade. Isso tem a ver com a cobrança para tudo sair do jeito certo e a falta de experiência.

Já nos homens adultos é mais complicado e é preciso uma consulta com urologista e/ou psicólogo para saber quais os fatores que estão contribuindo para a rápida ejaculação.

Não existe um tempo certo para se avaliar que há ejaculação precoce. Geralmente é analisado o tempo que o homem ejaculou sem possibilitar satisfação a/ao parceira (o). Sentimentos de culpa e ansiedade se tornam uma constante. Dificuldades maiores podem vir na sequência, como a disfunção erétil (impotência) e a perda de intimidade no casal.

Retardo ejaculatório: É mais raro e é o oposto da ejaculação precoce. Consiste numa dificuldade significativa para chegar à ejaculação, o que prejudica o prazer e muitas vezes leva o homem a desistir do ato sexual, pelo cansaço.

Pode ocorrer devido ao uso de substancias que agem no Sistema Nervoso Central (antidepressivos, ansiolíticos, analgésicos), drogas ilícitas (maconha e cocaína), doenças sistêmicas como diabetes, complicações de cirurgias penianas ou pélvicas, ou outras situações que comprometam a estimulação e percepção do indivíduo. Neste caso há ereção do pênis normalmente, porém, não se consegue ejacular, já que não há estímulo de prazer suficiente para gerar o orgasmo.

A maioria dos casos vem de conflitos sexuais como dificuldades de intimidade, inadequação sexual, traumas e bloqueios psicológicos (culpa da traição, por exemplo), que são melhor avaliados por um psicólogo especializado em terapia sexual ou terapia de casais e acompanhado pelo urologista.

Composição da ejaculação: Espermatozóides, Aminoácidos, Citrato, Enzimas, Flavinas, Frutose, Fosforilcolina, Prostaglandinas, Proteínas, Vitamina C, Fosfatase ácida, Ácido cítrico, Fibrinolisina, Antígeno específico da próstata, Enzimas proteolíticas, Zinco, Galactose, Muco e Ácido siálico.

O sabor do fluido pré-ejaculatório é levemente salgado e sem cheiro. Já o sêmen é salgado com traços picantes e o cheiro característico lembra água sanitária. Engolir o sêmen não é prejudicial, o perigo está na possibilidade de transmissão de doenças.



Lembre-se: O sêmen ejaculado transmite doenças sexualmente transmissíveis e também pode gerar uma gravidez indesejada. Para evitar as duas coisas, use sempre camisinha!

Nenhum comentário:

Postar um comentário