sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Adolescência interrompida: gravidez e aborto.



O que é a adolescência?


A adolescência é uma fase da vida em que ocorrem várias etapas a nível social, familiar e sexual. Uma das características da adolescência é a puberdade.


A puberdade é o tempo de vida em que as pessoas mudam psicologicamente e fisicamente.


Gravidez na adolescência


Causas:
· Falha do método contraceptivo/Má utilização
· Durante o acto sexual, não se usou nenhuma protecção
· Falta de informação
· Existência de pensamentos de que ‘’só acontece aos outros’’
· Por superstições e mitos, por exemplo: na 1ª vez não se pode ficar grávida, ou quando ‘’se faz de pé’’ também não existe risco de engravidar


Consequências:


· Abandono Escolar e consequentemente, habilitações literárias insuficientes
· Empregos com baixo salário, o que torna a qualidade de vida pior
· Depressão e necessidade de apoio psicológico
· Mudança repentina da infância para a fase adulta, sem passar na fase de maior desenvolvimento, a adolescência
· Descoberta da gravidez e aparecimento de algumas perguntas, como por exemplo: se deve levar a gravidez até ao final, se deve abortar, como irão reagir os pais, etc...

O que é o Aborto?

Expulsão de um feto ou embrião por morte fetal, antes do tempo e sem vida fora do útero materno.

Lei n.º 16/2007 - De acordo com a legislação portuguesa, a IVG (Intervenção Voluntária Gravidez) é legal se for feita por um médico, num estabelecimento de saúde oficial e com a autorização da mulher grávida:

1—Não é punível a interrupção da gravidez efectuada por médico, ou sob a sua direcção, em estabelecimento de saúde oficial ou oficialmente reconhecido e com o consentimento da mulher grávida, quando:
a) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
b) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
c) Houver seguros motivos para prever que o nascituro virá a sofrer, de forma incurável, de grave doença ou malformação congénita, e for realizada nas primeiras 24 semanas de gravidez, excepcionando- se as situações de fetos inviáveis, caso em que a interrupção poderá ser praticada a todo o tempo;
d) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
e) For realizada, por opção da mulher, nas primeiras 10 semanas de gravidez.  (Artigo 142º)


Seguir em frente com a gravidez


Quando se dá a notícia aos pais, podem existir problemas com os familiares. Por exemplo, os pais podem ter vários sentimentos como raiva, fracasso, culpa, zanga, desilusão,…

A jovem pode também entrar em conflitos por ter de aceitar a gravidez e consequentemente a mudança das suas tarefas pessoais.
A rapariga terá de mudar os hábitos. Pode pensar, no início, que a sua relação com o namorado ou mesmo com os amigos poderá mudar, etc, e isso poderá provocar muito stress na jovem.


Fonte: Portal da Juventude

Nenhum comentário:

Postar um comentário