terça-feira, 14 de agosto de 2012

O QUE É EJACULAÇÃO PRECOCE?

EJACULAÇÃO PRECOCE (EP) - Parte 1

Todos os homens, às vezes, querem que as suas relações sexuais durem mais tempo. Mas a ejaculação precoce (EP, também chamada de ejaculação rápida) é muito mais do que apenas ter a sensação que poderia durar mais tempo. É uma condição muito real, com impacto real na vida das pessoas.
EP foi recentemente definida pelos especialistas como sendo composta por três principais aspectos:

 • ocorrência da ejaculação em cerca de 1 minuto ou menos a partir da penetração (ou ejaculação antes da penetração);
 • incapacidade de controlar a ejaculação;
 • presença de insatisfação pessoal ou do casal causada pela EP.

É importante notar que muitos homens desejam ter, por vezes, um maior tempo de relação sexual, mesmo que não tenham EP. Não há um tempo normal de ejaculação. Existem variações tanto entre os homens e até mesmo de acordo com parceiras diferentes, situações, estado emocional, medicamentos, bebidas alcoólicas, numero de relações, etc. Alguns estudos têm mostrado que o tempo médio da ejaculação é cerca de 5,4 minutos.

A EP pode assumir duas formas. Os homens podem ter EP desde a primeira vez que têm relações sexuais (conhecida como EP ao longo da vida ou primária), ou pode desenvolver mais tarde na vida do homem depois de anos sem problemas (adquirida ou secundária).

Muitos homens continuam com a esperança de que sua EP vai ficar melhor com o tempo. No entanto, sabemos que 70% dos casos pioram com o tempo, 29% ficam iguais e apenas 1% melhoram. É importante perceber que a EP é uma condição médica tratável e que, ao falar com um médico, você pode potencialmente ter acesso a um número de tratamentos eficazes.

A EP às vezes é confundida com disfunção erétil (DE; impotência), uma condição onde o homem não pode alcançar ou manter uma ereção adequada para uma relação sexual. Homens com ejaculação EP tem uma ereção rígida, enquanto os homens com disfunção erétil podem perder a ereção antes da ejaculação. Ao contrário da DE, a EP não é frequentemente associada com condições médicas graves como doença cardíaca ou diabetes, embora seja possível ter os dois: EP e DE. Fato muito relevante ocorre com homens que procuram o urologista com DE e trazem junto quadro de EP. Isto demonstra que a EP ficou “escondida” e a procura do tratamento medico se deu com o aparecimento da DE. Neste caso o tratamento deverá contemplar as duas condições.


AS PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE EP E DE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário