terça-feira, 7 de agosto de 2012

Patologias do ovário



A) Torção do ovário O ovário normal pode sofrer uma torção, o que provoca uma dor súbita, violenta e contínua do abdómen, com massa palpável e dolorosa. Quando isso acontece do lado direito, pode confundir-se com uma apendicite aguda. A clínica, o laboratório e ecografia permitem fazer o diagnóstico diferencial. O tratamento consiste na ablacção do ovário torcido. É uma situação rara em Pediatria.
B) Tumores do ovário 1 - Benignos:
a) Quistos congénitos: São benignos e habitualmente solitários. Quando não foram diagnosticados por ecografia pré-natal, o crescimento é progressivo, podendo atingir grandes dimensões sem qualquer sintoma. Os sintomas mais frequentes são dores abdominais e uma massa palpável. A cirurgia é simples, requerendo dois, três dias de hospitalização se for utilizado o método aberto, ou um dia se for realizada por laparoscopia.
b) Teratoma benigno: É um tumor caracterizado por ter estruturas tecidulares muito variadas, que podem incluir pele, músculo, cartilagem, osso. A forma matura é benigna e o tratamento consiste na excisão cirúrgica do ovário com o tumor, sem necessidade de tratamento posterior. Antes da cirurgia devem ser realizados exames complementares, para se ter a certeza de não se tratar de um tumor maligno. Para isso é preciso realizar Rx pulmonar, TAC abdominal, doseamento de alfafetoproteína (que tem valores elevados se o tumor for maligno).
2 - Malignos:
a) Teratoma maligno: É caracterizado por ter estruturas tecidulares variadas, como no teratoma benigno, mas pouco diferenciadas; é uma forma imatura, que é maligna. É necessário fazer os exames complementares já referidos para os teratomas benignos. Se houver tumor nos gânglios retroperitoneais (gânglios linfáticos na porção posterior do abdómen) é preciso fazer a sua remoção e proceder a quimioterapia. É indispensável fazer controles periódicos de alfafetoproteína; se os valores subirem, é preciso fazer quimioterapia de novo.
b) Tumor de células germinais: Manifesta-se habitualmente por dores abdominais crónicas, problemas intestinais, massa abdominal palpável. É identificado por ecografia abdominal e é investigado e tratado como o teratoma maligno.
c) Disgerminoma: É muito raro e é diagnosticado habitualmente na puberdade. A investigação e tratamento são idênticos aos dos outros tumores malignos do ovário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário