terça-feira, 14 de agosto de 2012

VACINA CONTRA HPV TAMBÉM PARA HOMENS


A vacina aprovada pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e disponível no mercado, contra os HPV 6, 11, 16 e 18, chama-se Gardasil (laboratório Merck Sharp & Dohme). A vacina aprovada para uso no Brasil protege contra os tipos mais comuns, ou seja, HPV 6 e 11 (não-oncogênicos, mas relacionado às verrugas) e HPV 16 e 18 (oncogênicos). Existem cerca de 140 tipos diferentes de HPV, dos quais aproximadamente 35 infectam genitais e ânus. Desses, aproximadamente 15 são considerados oncogênicos, isto é, relacionados ao câncer do colo do útero.
 A vacina foi inicialmente aprovada para aplicação em meninas na faixa etária entre 9 e 26 anos. Como os estudos demonstraram melhores índices de proteção na população que não foi previamente infectada pelo HPV, as principais beneficiadas com a vacinação são as meninas que ainda não iniciaram ou estão no início da sua atividade sexual. No entanto, outras mulheres também podem utilizar a vacina.
Desde maio de 2011 também foi aprovada pela ANVISA para uso em meninos. São três aplicações de injeção intramuscular (0,5ml) em 0, 2 e 6 meses (3 doses). O custo médio de cada dose é de U$120,00. No Brasil algumas clinicas de vacinação cobram por volta de R$500,00 cada dose. A vacina Gardasil é chamada de quadrivalente, pois protege contra 4 subtipos do vírus HPV. O efeito adverso mais comum é dor no local da injeção. A pessoa pode apresentar também dor de cabeça e uma febrícula nas primeiras 48 horas.
Homens que iniciaram a atividade sexual e aqueles que já têm ou tiveram o diagnostico de infecção pelo HPV também podem ser vacinados. A vacina é administrada após o tratamento da doença evitando assim as recidivas. A vantagem para vacinação no homem esta na proteção contra as verrugas genitais. Os tipos 6 e 11 são os mais comuns na formação das verrugas. Estima-se que mais de 70% da população sexualmente ativa já teve contato com o HPV, mas uma minoria apresenta a doença ativa.
 Apesar da vacina ter uma conotação de cura, infelizmente não podemos assegurar que após a vacina, a infecção pelo HPV não vai se manifestar. E é muito importante ressaltar que devemos manter os métodos de proteção não somente contra o HPV, como a outras DST. Resumindo, usar camisinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário