sábado, 20 de outubro de 2012

Pessoas que sofrem ou sofreram bullying


Marcelo henrique de souza
13 anos de idade

Que tipo de bullying vc sofria?
na maioria das vezes era bullying verbal.

Por que você  sofria bullying?
"assim eles mexiam comigo pelo formato de minha cabaça,porque era um exelente aluno,pela minha timidez e principalmente pelo meu vocabulário"

fato supermarcante
"foi quando entrei para o 9 ano b,mais ou menos 1 ano atráz,era um grupo de meninos que mexiam comigo sempre implicando com o formato de minha cabeça"Mas um dia não aguentei mais tamanha crueldade e pati para cima de um dos agressores q depois me bateu violentamente quando cai no chao.Isso foi culminante para mim "eu" brigando uma pessoa tão calma e doce? não acreditei"

Como você  se sentia?
"Me sentia muito mal e maguado e ao mesmo tempo com muita raiva.eles queriam que todos vissem para que eu pudesse me sentir mais humilhado ainda"

"MAS AINDA BEM QUE HOJE EM DIA SIMPLESMENTE PASSO POR CIMA DO BULLYING"

Pessoas que sofreram bullying

Todos os nomes que vou citar agora foram permitidos pelas pessoas que entrevistei pois é um assunto bem delicado espor o nome de pessoas e fotos,que podem levar outras a zombarem ainda mais da mesma ,mas tenho certeza de  que isso não acontecerá!

o que é o bullying?


Bullying - É exercido por um ou mais indivíduos, causando dor e angústia, com o objetivo de intimidar ou agredir outra pessoa.
Bullying é um termo da língua inglesa (bully = “valentão”) que se refere a todas as formas de atitudes agressivas, verbais ou físicas, intencionais e repetitivas, que ocorrem sem motivação evidente e são exercidas por um ou mais indivíduos, causando dor e angústia, com o objetivo de intimidar ou agredir outra pessoa sem ter a possibilidade ou capacidade de se defender, sendo realizadas dentro de uma relação desigual de forças ou poder.
O bullying se divide em duas categorias: a) bullying direto, que é a forma mais comum entre os agressores masculinos e b) bullying indireto, sendo essa a forma mais comum entre mulheres e crianças, tendo como característica o isolamento social da vítima. Em geral, a vítima teme o(a) agressor(a) em razão das ameaças ou mesmo a concretização da violência, física ou sexual, ou a perda dos meios de subsistência.
O bullying é um problema mundial, podendo ocorrer em praticamente qualquer contexto no qual as pessoas interajam, tais como escola, faculdade/universidade, família, mas pode ocorrer também no local de trabalho e entre vizinhos. Há uma tendência de as escolas não admitirem a ocorrência do bullying entre seus alunos; ou desconhecem o problema ou se negam a enfrentá-lo. Esse tipo de agressão geralmente ocorre em áreas onde a presença ou supervisão de pessoas adultas é mínima ou inexistente. Estão inclusos no bullying os apelidos pejorativos criados para humilhar os colegas.
As pessoas que testemunham o bullying, na grande maioria, alunos, convivem com a violência e se silenciam em razão de temerem se tornar as “próximas vítimas” do agressor. No espaço escolar, quando não ocorre uma efetiva intervenção contra o bullying, o ambiente fica contaminado e os alunos, sem exceção, são afetados negativamente, experimentando sentimentos de medo e ansiedade.
As crianças ou adolescentes que sofrem bullying podem se tornar adultos com sentimentos negativos e baixa autoestima. Tendem a adquirir sérios problemas de relacionamento, podendo, inclusive, contrair comportamento agressivo. Em casos extremos, a vítima poderá tentar ou cometer suicídio.
O(s) autor(es) das agressões geralmente são pessoas que têm pouca empatia, pertencentes à famílias desestruturadas, em que o relacionamento afetivo entre seus membros tende a ser escasso ou precário. Por outro lado, o alvo dos agressores geralmente são pessoas pouco sociáveis, com baixa capacidade de reação ou de fazer cessar os atos prejudiciais contra si e possuem forte sentimento de insegurança, o que os impede de solicitar ajuda.
No Brasil, uma pesquisa realizada em 2010 com alunos de escolas públicas e particulares revelou que as humilhações típicas do bullying são comuns em alunos da 5ª e 6ª séries. As três cidades brasileiras com maior incidência dessa prática são: Brasília, Belo Horizonte e Curitiba.
Os atos de bullying ferem princípios constitucionais – respeito à dignidade da pessoa humana – e ferem o Código Civil, que determina que todo ato ilícito que cause dano a outrem gera o dever de indenizar. O responsável pelo ato de bullying pode também ser enquadrado no Código de Defesa do Consumidor, tendo em vista que as escolas prestam serviço aos consumidores e são responsáveis por atos de bullying que ocorram dentro do estabelecimento de ensino/trabalho.
Orson Camargo
Colaborador Brasil Escola
Graduado em Sociologia e Política pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo – FESPSP
Mestre em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

2 comentários:

  1. bom eu sofri bullying na 6° série teve um pouco de racismo por uma garota e isso foi um fator forte para que tivesse vergonha de mim mesmo. Hoje eu tento viver minha vida sem pensar na dor que ela me causou com as palavras que me disse e não é facil esquecer se você também foi vitima não deixe se entimidar grite, fale mais não se cale isso é muito sério e se você guarda é pior pra você no futuro, eu achei um jeito de me abrir reuni 8 amigos e amigas e formamos um video chamado "meu bullying foi..." e assim pude conta em uma nova história diferene da minha tudo que sentia, se você tem medo faça igual a mim meu video esta no you tube pode ver e revele para alguém que possa te ajudar valeu

    ResponderExcluir
  2. Michel, teu comentário traz ainda muita dor, gostaria que refletisse e pudesse ao menos um pouco em amenizar tanta mágoa com um perdão, perdoar a ignorância desta pessoa.
    abçs.

    ResponderExcluir