sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Escola e desestabilização da homofobia


mensagem de carnaval


Você teria coragem de abandonar os melhores amigos...?


Você teria coragem de abandonar os melhores amigos...? (detalhes)?
Se achasse que estava correndo algum risco, real ou imaginário?

"Um homem, seu cavalo e seu cão, caminhavam por uma estrada.
Depois de muito caminhar, esse homem se deu conta de que ele, seu cavalo e seu cão haviam morrido num acidente.
Às vezes os mortos levam tempo para se dar conta de sua nova condição... A caminhada era muito longa, morro acima, o sol era forte e eles ficaram suados e com muita sede.
Precisavam desesperadamente de água.
Numa curva do caminho, avistaram um portão todo magnífico, todo de mármore, que conduzia a uma praça calçada com blocos de ouro, no centro na qual havia uma fonte de onde jorrava água cristalina.
O caminhante dirigiu-se ao homem que numa guarita, guardava a entrada.
- Bom dia, ele disse.
- Bom dia, respondeu o homem.
- Que lugar é este, tão lindo? ele perguntou.
- Isto aqui é o céu, foi a resposta..
- Que bom que nós chegamos ao céu, estamos com muita sede, disse o homem.
- O senhor pode entrar e beber água à vontade, disse o guarda,indicando-lhe a fonte adiante.
- Meu cavalo e meu cachorro também estão com sede.
- Lamento muito, disse o guarda. Aqui não se permite a
entrada de animais. O homem ficou muito desapontado
porque sua sede era grande.
- Mas ele não beberia, deixando seus amigos com sede.
Assim, prosseguiu seu caminho. Depois de muito caminharem morro acima, com sede e cansaço multiplicados, ele chegou a um sítio, cuja
entrada era marcada por uma porteira velha semi-aberta. A porteira se abria para um caminho de terra, com árvores dos dois lados que lhe faziam sombra.
A sombra de uma das árvores, um homem estava deitado, cabeça coberta com um chapéu, parecia que estava dormindo:
- Bom dia, disse o caminhante.
- Bom dia, disse o homem.
- Estamos com muita sede, eu, meu cavalo e meu cachorro.
- Há uma fonte naquelas pedras, disse o homem e indicando o lugar.
Podem beber à vontade.
O homem, o cavalo e o cachorro foram até a fonte e mataram a sede.
- Muito obrigado, ele disse ao sair.
- Voltem quando quiserem, respondeu o homem.
A propósito, disse o caminhante, qual é o nome deste lugar?
- Céu, respondeu o homem.
- Céu?
- Mas o homem na guarita ao lado do portão de mármore disse que lá era o céu!
- Aquilo não é o céu, aquilo é o inferno.
O caminhante ficou perplexo.
- Mas então, disse ele, essa informação falsa deve causar grandes confusões.
- De forma alguma, respondeu o homem. Na verdade, eles nos fazem um grande favor. Porque lá ficam aqueles que são capazes de abandonar até seus melhores amigos...
Dandara, a vida é feita de vários momentos, às vezes de decepção, mas de alegrias também, espero sinceramente que vc descubra por si mesma que está errada, e que pode ter bons e verdadeiros amigos, virtuais e/ou reais. Beijo do pirata.
Não abandonaria jamais.
Quem pode se rotular amigo se dentro de si já tem a intenção ou a certeza de que o abandonaria em caso
de necessidade ou perigo

A JOVEM DESILUDIDA


 de Abilio Machado.

        Estava ela feliz, data de casamento marcado, o noivo que mamãe pediu a Deus, mas o destino terreno lhe passou uma rasteira, ele, jovem viçoso se envolvei com uma outra pessoa, não lhe disse quem era por mais que tentasse saber, apenas disse:
__Espero que você encontre alguém, eu... Sabe... Encontrei uma pessoa e não consigo nem mesmo respirar longe dela.
         Sem saber o que dizer fechou se em si sem desiludida e infeliz. Não sabia como enfrentar o problema.
         Não conseguia considerar o aspecto positivo, não notava que a sua ilusão era relacionada aos sentimentos dele, noivo. Não pensou que ainda bem que aconteceu agora, bem antes de casamento realizado, filhos, vida em sociedade, pois casamento é mais que relação é um contrato social...
         No seu íntimo se repete:
__Mas ele é o homem de minha vida... Como? Eihmm? Por quê?
         Mesmo nesta facção repetitiva teima em não reconhecer o óbvio se ele fosse seu homem não lhe deixaria, neste gesto de lhe procurar e lhe falar lhe disse que é dele boa amiga, confiável, mas não o ar que lhe rege, mesmo quando apanhando sai foto naquele porta retrato barato comprado na ‘ Coisas e coisinhas’ ali da XV e se declama ao amor tanto lhe ofertado, passando longe do significado de que amor com extremo é paixão, uma má conselheira, que causa rancores, sustenta mágoas e acabam infernizando de memórias falhas nossos momentos.
Se acusa de coisas não feitas, de atos não entregues, até não consegue imaginá-lo em outros braços, e a vontade de estapeá-lo para que saia do transe. O simbolismo aplicável de que realmente não sente por ele nada, isso não é amor, amar é querer bem, é respeito, até sobre esta opção dele tomada sobre sue próprio destino.
Chama a ele de criminoso e injusto, olhou para o verde do parque e proferiu maledicências, desiludida, mas sem vingança, deve compreender que perdão é alívio, que é calmaria para a alma.
Tem momentos que quer que o mundo se abra e queria morrer a correr o risco de vê-lo assim a passear no mesmo lugar que você... uma visão espiritual lhe diria de como seria agradável mas a apenas aqueles que são chamados por Deus depois de uma vida de trabalho e dedicação ao bem, e em sua mocidade sabe que sua incursão à terra está apenas principiando, tire essa idéia maluca da cabeça de suicídio, não se desvalorize, agradeça a Deus por ter te afastado nesta frustrada tentativa e acredite isso seria apenas uma fuga, e que logo após a passagem descobriria que as dores e sofrimentos seriam maiores...
Por mais que lhe pese a vida com desilusão, decida em não a possuir, é um espinho que causa desequilíbrio e perturbações... Se renove, procure outros rostos na multidão, se envolva ao trabalho, aos estudos, busque uma religião, são suportes biológicos e espirituais que lhe manterão psiquicamente em estabilidade... Procure um trabalho de voluntariado, ajude pessoas, conhecendo o seu meio saberá que muitas vezes o que verá são problemas muito maiores que o seu e quem os possuem lutam para sobreviverem e jamais se entregarem...
Olhe por um instante ao redor... E vai ver que não somos ilhas, somos seres talvez nascidos para ficarmos isolados em nossa dor, mas conseguimos nos mantêm altos com o apoio que nos provém de nossos iguais que passam pela nossa vida, uns tiram-nos pedaços e que nos fazem chorar, mas outros nos oferecem tanto, nos preenchem e nos completam de tal maneira que acabamos por olhar a este passado tão presente e dizer:
__ Que bom que isso aconteceu!
Até imagino aquele dia quando o encontrou no parque andando com aquele moço, de cabelos pintados e lindo de viver, você suspirou aliviada por não ser quem imaginava pelo menos até o momento em que ele apresentou o amigo:
__Oi querida, quero que você conheça a Jojo espero que sejam amigos, pois afinal vocês dois tem algo em comum: eu!
Afinal ‘amar não é olhar um para o outro, é olhar juntos na mesma direção’ como nos disse Antoine de Saint-Exupéry.

A juventude perdida


A juventude perdida
em seus vícios tão pequenos
 tem alegria ou sofrimento
Maravilha ou lamento...
Simples meninos...

É o mundo, é um novo tempo,
é um segundo em novas horas.

Os jovens não são mais fortes, cheios de saúde e sorte.
Entregam-se às drogas como novo consorte...

         A humanidade vira terceira idade,
Querendo fazer as coisas da mocidade
E cresce pelo descuido o vírus da morte
Até eles se perdem querendo se orientar,
os jovens que não entendem.
Os velhos se acham os donos do tudo
Sofrendo vão todos e dizendo:
... No novo tempo,
apesar dos castigos não estão correndo perigo,
estamos perdidos acima de tudo:__ Fodidos!

Muitas coisas não os assustam,
nem a noite e nem a força bruta,
 Mas estamos todos em luta,
nada demais, nem todos os jovens
e tampouco os idosos são iguais...

Alguns não fazem nada,
outros bebem cachaça,
uns se acham no bom caminho e se aplaudem,
outros apenas fumam e se afundam,
uns são classe alta, outros média ou da baixa,
outros não levam desaforos pra casa,
        uns jovens se vingam aos poucos,
outros são desajustados
uns se comportam educados
outros são caça como porcos na mata...

uns não carregam culpa,
outros brigam na rua,
uns são filhos da mãe
e outros da p...perua!

uns vivem em festa,
outros estão abraçados com a besta
uns curtem drogas,
outros se afogam em tubões,
uns ligam o som alto do carro
tremendos bobalhões...

uns só andam com alma,
outros revolver ou faca,

uns usam cadernos
outros uma bíblia sagrada.
Uns acham que vão ao céu
Outros são poetas eternos...

São centenas de gangues, juvenis
espalhadas pelos brasis;
divididos em praças
ruelas e malocas
deixando de lado os sonhos
as roupas e as graças
quando chove no morro e acaba a favela...

São lágrimas que descem
São vidas em foco e ninguém vê
Apenas quando a tragédia explode
É que a dureza do jovem e pobre passa na TV...

Uns jovens afirmam que lhes faltam carinho
 vivem assustados como qualquer menino.
Uns culpam a ninguém,
Outros ao mundo
Uns gostam de turmas se sentindo mais homem
Outros gostam de andar sozinhos,
Na vidinha apenas passam ou somem...

Mas este é o recado do destino: 
__Eu sou o que sou,
Pois esta vida é um deboche
O resto é questão de liberdade
e desatino!
Se for passar pede licença
e vê se não me amole!