sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Briga entre irmãos: que partido tomar?


  1. Briga entre irmãos: que partido tomar?

Que as constantes brigas entre irmãos acabam com o bom humor de pais e mães cansados de tentar estabelecer a paz doméstica todo mundo sabe. Mas, atenção, o clima pode ficar bem pior e trazer consequências desastrosas para o futuro das crianças se os pais não souberem que lado tomar no momento das discussões.
Tomar partido em relação a um dos filhos ou simplesmente castigar todos os envolvidos sem ao menos saber o motivo do impasse não colocarão um ponto final nas brigas. Segundo a psicóloga familiar e co-autora do livro "Seja Feliz, Meu Filho", Natércia Tiba, os atritos são inevitáveis e os pais devem exigir limites, aproveitando a ocorrência dos conflitos para ensinar valores.
"Dentro da família, os filhos brigam como se treinassem para o relacionamento com a sociedade. Brigam devido ao sentimento de competição e até inveja. Os pais não têm como evitar, mas devem impor limites, como não deixar as crianças se baterem ou xingarem".
Natércia explica ainda que pais e mães devem dar exemplos de como negociar. "É bom que eles mostrem que também podem se envolver em brigas, mas nem por isso saem batendo ou xingando outras pessoas".


Deixar que os filhos resolvam sozinhos suas brigas pode não ser uma boa idéia. Os pais, diz Natércia Tiba, devem, sim, interferir, já que uma série de brigas mal resolvidas tem a tendência de baixar a auto-estima daquele que sempre se julga o prejudicado. "O pai ou mãe que têm consciência da má fé de um dos filhos durante a briga deve deixar claro o seu pensamento e tomar partido do
 filho que está com a razão. Mas isso é diferente de proteger a criança. Pelo contrário: esta é a oportunidade de ensinar valores e novas possibilidades de resolver problemas".
Por Adriana Cocco

Nenhum comentário:

Postar um comentário