sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Candidíase no homem


A candidíase no homem é muito comum, apesar de alguns não apresentarem sintomas. Quando o crescimento do fungo é exageradamente grande, o homem então apresenta sintomas similares ao da candidíase vulvovaginal.
Abaixo estão alguns dos mais comuns sintomas da candidíase peniana:
- Dor durante a relação sexual;
- Sensação de queimação ao urinar;
- assaduras na cabeça do pênis;
- Leve inchaço;
- Eventual corrimento semelhante ao sêmem.
Homens adquirem candidíase peniana ao terem contato sexual com uma parceira contaminada ou devido a uma fraqueza no sistema imunológico. Alergias a alimentos e agentes químicos também podem desencadear a candidíase em homens. A candidíase entretanto não é considerada uma doença sexualmente transmissível e este fato não é comum. Para que a transmissão ocorra, geralmente o ato deve ocorrer no período em que a mulher está tendo uma crise. A raridade se dá pelo fato de que a mulher nesse estado não quer ter relações sexuais. A transmissão geralmente ocorre durante os primeiros dias da crise quando os sintomas ainda não são tão desconfortáveis.
Ao ser diagnosticado com candidíase peniana, o homem deve abster-se do sexo até que a crise tenha passado. Muitas vezes, a mulher infectada passa a doença para o parceiro e quando já está curada, pega a doença do parceiro novamente.
A utilização de remédios pode tornar o fungo mais resistente com o tempo.

Candidiase tem como característica a coceira, ardência, um corrimento esbranquiçado (como leite talhado na vagina da mulher e uma massinha tipo sebo no pênis do homem) e ressecamento peniano e vaginal. Tudo isso provocado por fungos que todas as pessoas tem, mas se estão sob controle não fazem mal à saúde.
Minha esposa desenvolveu uma candidiase muito forte depois de uma cirurgia, creio que isto se deu pelos medicamentos que ela teve que tomar no pós operatório e pelo stress que ela viveu naquele período. Depois de um ano eu também comecei a desenvolvê-la. Minha esposa viveu com ela por mais de 2 anos e eu por mais de 1 ano.
Depois destes anos tomando e passando todo tipo de medicamento para combatê-la, observando que os medicamentos químicos (fortíssimos e perigosos à saúde) só funcionavam por um curto tempo e alguns até faziam piorar mais a situação; fomos a vários médicos; nós já estávamos aceitando a idéia de que isso não teria cura e teríamos que conviver com a coceira e a ardência. Um médico chegou a nos dizer isto claramente.
Foi aí que descobri numa lembrança de um comentário de meu pai a cura dessa peste, ele me disse que antigamente as pessoas tratavam as doenças genitais com limão.
Esprema o suco de um limão (aquele da casca verdinha e brilhante - O limão galego, aquele que tem o suco branquinho) coe, dilua em água 50%/50% e aplique no pênis ou na vulva ou até mesmo dentro da vagina, deixe agir. Pode ser que venha arder muito na primeira aplicação, pois a pele pode estar muito ferida, se isso ocorrer, dilua o suco em mais água e aplique. Vc verá que a ardência sumirá nas aplicações seguintes. Fiz isso por 1 semana, 1 aplicação todos os dias, depois por mais 2 semanas 1 dia sim, 2 não. No meu caso, que sou homem e tenho o órgão externo, utilizei o suco puro.

Pense... se vc ingere o suco de um limão e ele não faz mal para sua boca, não faz mal para o esôfago, não faz mal para o estômago e não faz mal para seu intestino, porque iria fazer mal à sua região genital?
Já se passou mais de ano, não tivemos nenhum problema no uso do limão e ficamos totalmente livres desse mal. Mas, não posso falar o mesmo dos diversos "fluconazois" que tomamos e passamos, leia as bulas deles.
Se o remédio que o médico te passou não resolver, fica aí a dica.
Se der certo como deu conosco, ajude a divulgar, pois só quem passa por este inferno é que sabe como é triste.
Diminua o consumo de açúcar, a cândida se alimenta dele.
Não exponha ao sol a área enquanto estiver com o suco de limão.

Um fator que pode promover este desequilíbrio é o sexo oral e anal (muito em “moda” hoje), pois essa prática colabora para a disseminação de micro organismos da boca e do anus na flora vaginal, provocando um desequilíbrio e favorecendo o desenvolvimento de micro-organismos oportunistas como a cândida.
Da mesma forma, no sentido contrário, levam-se micro-organismos naturais da vagina (inclusive a cândida) para o interior do intestino, boca, garganta e estômago.

Nenhum comentário:

Postar um comentário