quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Tabagismo é responsável por metade dos casos de câncer de bexiga


Risco da doença em mulheres já pode ser comparado ao de homens

Por Minha Vida - publicado em 17/08/2011


Um estudo publicado no Journal of the American Medical Association revelou que fumantes têm um risco maior de ter câncer de bexiga do que o apontado por estudos anteriores. A pesquisa indicou ainda que a probabilidade de a doença acometer mulheres, agora, é comparável a de homens. A análise foi liderada por cientistas do National Cancer Institute (NCI), nos Estados Unidos.

A pesquisa utilizou dados de mais de 450 mil pessoas que participaram do chamado NIH-AARP Diet and Health Study. Elas responderam um questionário que teve início em 1995 e foi acompanhado até 2006.
 
 


Os resultados mostraram que pessoas adeptas do tabagismo apresentavam uma probabilidade quatro vezes maior de ter câncer de bexiga do que aquelas que nunca haviam fumado. Além disso, ex-fumantes corriam um risco duas vezes maior de ter a doença do que quem nunca foi usuário.
Descubra seu
peso ideal
Saiba se você está acima
ou abaixo do peso.


Ex: 75,5kg, 1,70m
Estudos anteriores apontavam que o tabagismo era responsável por cerca de 20 a 30% dos casos de câncer de bexiga em mulheres. Com a nova análise, foi possível constatar que o risco de a doença acometer mulheres era 50% maior, porcentagem semelhante à encontrada em estudos realizados com homens.

Quatro motivos para parar de fumar
Motivos não faltam para extinguir o fumo da sua rotina. A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que o tabaco irá matar nada menos que seis milhões de pessoas somente em 2011, sendo 600 mil fumantes passivos. Se esses números continuarem aumentando, a estimativa é que, em 2030, oito milhões de pessoas morram por ano por conta desse péssimo hábito. Por isso, confira algumas razões para largar o cigarro agora mesmo:

1. Redução de olfato e paladar
O fumo traz sérias alterações na boca e no nariz. "Os agentes químicos presentes no cigarro atuam como irritantes da mucosa bucal, o que resseca e aumenta a camada de queratina", explica a nutricionista Thais Souza, da Rede Mundo Verde. Ela explica que o fumo promove alterações nas papilas gustativas, o que impede que o fumante sinta o real sabor dos alimentos.
Além disso, o cigarro é prejudicial para a mucosa olfativa, já que seu efeito térmico pode levar a lesões que alteram o olfato.

2. Doenças gastrointestinais
A digestão já fica prejudicada por conta das alterações no paladar. Para completar o desastre, a nicotina no sistema digestivo provoca a diminuição da contração do estômago e provoca irritação. O uso contínuo do cigarro enfraquece o músculo que impede o refluxo, o que aumenta o contato de ácido gástrico com a mucosa esofágica. O tabaco ainda facilita a infecção por bactérias causadoras da úlcera gástrica.

3. Rugas e pele envelhecidaAlém dos dentes amarelados e do mau hálito, a pele tende a envelhecer mais rápido nos fumantes. "Existem alguns estudos feitos com gêmeos, em que somente um tinha o hábito de fumar, que comprovaram que aquele que fumava poderia aparentar até oito anos a mais que o irmão", conta o cirurgião plástico Gerson Luiz Julio.

Isso acontece porque a pele diminui a produção de colágeno e perde brilho e elasticidade. De acordo com Gerson, o aparecimento precoce de rugas também é provável, o que deixa a pele com um aspecto pardo ou amarelado. "Outra característica que os fumantes normalmente expõem na face são as populares manchas", completa o profissional.

4. Câncer de boca
De acordo com o diretor do Departamento de Estomatologia do Hospital do Câncer, Fábio de Abreu Alves, 95% dos pacientes com câncer de boca fumam. O motivo é a composição do cigarro: "Ele é produzido por cerca de 4.700 substâncias tóxicas, sendo 60 cancerígenas", diz o especialista. Esse emaranhado de elementos nocivos presentes no tabagismo ainda é responsável por diversos outros tipos de câncer, principalmente nas vias aéreas, como laringe, esôfago e pulmão.

O dentista Marcelo Kyrillos, da clínica odontológica Ateliê Oral, também explica que a nicotina desestrutura a parte óssea da boca e danifica a estética vermelha natural da gengiva. O esmalte dos dentes é atingido pelo alcatrão. Ela penetra no esmalte superficial e causa o escurecimento deles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário