quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

TOMODEU


‘TOMODEU‘.      

                      ( em  trova )

Robertinho seco é ‘Tomodeu’
Que tipo que indivíduo ele é
Ao passar da conta
O apelido bem pontuado, mereceu:
Robertinho ‘Tomodeu’ bebeu
E se bebeu deu.

Seja levando seus companheiros no carreirinho
Ou seja, sempre dá um jeitinho de noite ali no parquinho!
Robertinho ‘Tomodeu’ pensou:
‘Que tipo que sou
Este jeito que sou
Não me contenho - se tomei - dou’.

Robertinho ‘Tomodeu’ é ladino e observa
Primeiro joga uma conversa
Se liga na resposta que o outro deu
Se faz de coitadinho e depois pede segredinho.


Robertinho ‘Tomodeu’  sente
Que é diferente ao ser Tomodeu
Pois lhe falta a coragem de ser o que é
‘Assim só depois que bebe dá o que é seu!’

Robertinho , ‘Tomodeu’, chorava outro dia
No parquinho dizia: tenho azar oh meu
Falo que todo mundo é isso ou aquilo...
Mas o único que sempre se cerca de homem é ‘Tomodeu’.

Robertinho, ‘Tomodeu’, bebe até no mercado
Diz que quer esquecer o passado
Que precisa entregar a minissaia
Que pegou do Marquinho emprestado... 

Mas, ‘Tomodeu’ bebeu
Saiu com alguém
De perto, de longe ou do além.
E não sabe ‘Tomodeu’ onde foi que esqueceu.

Nesta trova em sua homenagem
A ‘Tomodeu’ digo  tome vergonha,
Crie coragem, seja viadinho,
Mas sem encher a cara, tenha seu prazer, morda a fronha!

Nenhum comentário:

Postar um comentário