domingo, 17 de maio de 2015

Dream Boy ou Garoto dos sonhos

Publicado em 16 de jul de 2013
Dream Boy Dirigido por: James Bolton
inopse:
Uma história de amor sensual desenvolve rapidamente entre os dois, que depois têm que esconder seu amor de erguer os olhos de uma profundamente religioso, profundo da comunidade do Sul em meados da década de 1970. Nathan também tem de enfrentar seus demônios e ensurdecedor a violência que prevalece dentro da sua própria família. Adaptado do romance de Jim Grimsley, Dream Boy é um filme sensível sobre o amor, tabus e o fim da inocência.
(Todos os direitos reservados a produtora)
Por gentileza nao denuncie o filme!


quarta-feira, 13 de maio de 2015

Homossexualidade, religião e o tal armário...

Nas religiões, a impossibilidade de salvação para os gays é outro pensamento que pesa. “Dizem que Deus é amor”, afirmou um dos garotos, inconformado em ser considerado pecador pelo simples fato de amar alguém do mesmo sexo. Mas a aceitação não é apenas um mal estar individual. Estar no armário e não ser aceito mata. Milhares de adolescentes homossexuais cometem suicídio todos os anos por causa disso. Eles não querem ser uma vergonha para os pais, nem para a sociedade. Eles só queriam ser aceitos e amados.

O fim do vídeo traz uma das partes mais emocionantes e nos lembra que não só no Brasil, mas no mundo, sair do armário ainda é um ato político. Assista ao vídeo, compartilhe, discuta e permita que os homossexuais compreendam que há magia também fora do armário.



O que há no armário?
O que há no armário?
O que há no armário?
O que há no armário?

Afinal, o que há dentro do armário?



Se nas Crônicas de Nárnia, o armário reservava um mundo mágico a ser explorado, o conceito pode ser, de certa forma, aplicado à realidade desses garotos. Enquanto que em certos grupos e situações (às vezes, somente na internet), eles conseguem ser do jeito que são (a mágica da liberdade!) sem grandes preocupações, na família, na escola, na igreja e no trabalho, a vida falsa e aquilo que é omitido é um grande peso. No vídeo, alguns deles mencionam inclusive pensamentos de negação, como o desejo de ter nascido heterossexual ou a vontade de “cura”.

As histórias contadas por eles também revelam marcas profundas do machismo na sociedade: o pai que se preocupa com “o que vão pensar sobre ele ter um filho gay”, a necessidade de se afirmar “macho” para fugir da homofobia e o sonho que pais têm em “ter um filho que jogue futebol e se case com uma mulher “. Essa é apenas mais uma prova de que o machismo não afeta apenas as mulheres, mas os próprios homens – homossexuais ou não.

Mas e se fosse assim? Assista o vídeo...